sábado, 31 de março de 2018

O xadrez zela por sua saúde!


Saiba dos principais benefícios!




1 - Promove o desenvolvimento cerebral
2 - Exercita os dois lados do cérebro
3 - Aumenta seu QI
4 - Ajuda a prevenir o Alzheimer
5 - Aguça sua criatividade
6 - Melhora a capacidade de resolver problemas
7 - Ensina planejamento e melhora a tomada de decisão
8 - Melhora suas habilidades de leitura
9 - Otimiza a melhoria da memória
10 - Acelera a recuperação de AVC

Fonte: Clube de Xadrez Online

Sempre é bom lembrar!


quinta-feira, 29 de março de 2018

Copa Abdias Sá

Genildo entrega a Álvaro a caneca de campeão

A 2ª Etapa da Copa Abdias de Sá, uma iniciativa da Federação Paraibana de Xadrez, será realizada na tarde dia 7 de abril. Das 10 vagas, 8 já estão preenchidas. 


Ontem, Álvaro Arcoverde ganhou o embate frente a Fernando Melo (os dois terminaram empatados na primeira fase junto com José Mário, mas este não compareceu para a melhor de três) e sagrou-se campeão da I Etapa da citada Copa.  

Palavra do Presidente - IX

O esforço de alguns enxadristas  de se deslocarem de suas cidades para participar de torneios, quando as condições financeiras não são tão favoráveis, merece da Federação Paraibana de Xadrez toda a atenção possível.

Esta semana ocorreu de uma liderança interiorana, que pretende se deslocar de uma cidade para outra com uma delegação de cerca de 12 enxadristas, falar com esse Presidente, perguntado o que a FPBX poderá fazer para ajudar, uma vez que o torneio que vai acontecer tem a organização da Federação.

Uma reunião de Diretoria definiu, após analisar a situação, que não pode haver isenção total de taxa de inscrição. Custa nada lembrar que esses eventos patrocinados pela FPBX valem Rating FIDE, o que implica no pagamento de taxa à CBX/FIDE, sob a responsabilidade da Federação. Mas a conclusão foi bastante favorável em favor da delegação que pretendente se deslocar de sua cidade com 12 participantes.

Uma das principais metas da Federação é e continuará sendo nessa gestão, a interiorização do xadrez na Paraíba. E isso está sendo feito.

Fernando Melo - Presidente

domingo, 25 de março de 2018

Prestando contas

Álvaro, Fernando e José Mario decidem o campeão, quarta-feira
Ontem foi realizada a I Etapa da I Copa Abdias Sá, sob a direção da Federação Paraibana de Xadrez. Participaram 6 enxadristas e foi arrecadado 120 reais. Com um saldo positivo de 100 reais para os cofres da Federação, uma vez que 20 reais foram para pagar a caneca/troféu do vencedor do torneio, que será conhecido quarta-feira, já que três terminaram empatados com 4 pontos. Os participantes dessa primeira etapa foram Álvaro Arcoverde, José Mario Espínola, Fernando Melo, Genildo Gomes, Eny Nóbrega e Victor Araruna. Os três primeiros são os finalistas.  A II Etapa Copa Abdias Sá será dia 7 de abril, com 10 vagas.

sexta-feira, 23 de março de 2018

Palavra do Presidente - VIII

Vamos caminhando em direção ao principal objetivo da Federação Paraibana de Xadrez, que não é outro senão estimular, incentivar, propor e ajudar no desenvolvimento do xadrez pedagógico  num maior número possível de escolas públicas nos municípios  paraibanos.

Esta semana recebemos e-mail do presidente da Confederação Brasileira de Xadrez, GM Darcy Lima, com sugestão de data para o Curso de Capacitação de Xadrez Pedagógico, que em outras palavras significa instrutores para o ensino de xadrez nas escolas públicas e privadas. Será no mês de agosto. A data proposta é: 17 de agosto (sexta-feira), chegada do professor a Campina Grande sob a responsabilidade da CBX para ministrar o curso, Curso: 18 de agosto - de 8hs às 12hs e 13:30hs às 17:30hs; 19 de agosto - finalização do Curso 8hs às 12hs e retorno.

Estamos em contato com o presidente do Clube de Xadrez de Campina Grande, Antonio Gomes, para indicar à Federação Paraibana de Xadrez local para o curso e sugestão de hospedagem.

Esse Curso é um sonho que vai se tornar realidade, porque resolverá uma pendência muito acentuada, que é carência de instrutores de xadrez . Como expandir sem ter quem o faça, no caso os instrutores? Portanto, estamos confiantes no sucesso desse Curso porque é grande a adesão ao mesmo.
Fernando Melo - Presidente

quinta-feira, 22 de março de 2018

Inscritos na Copa Abdias Sá!


Já pediram inscrição os enxadristas Álvaro Arcoverde, Eny Nóbrega, Fernando Melo, Genildo Gomes, José Mário Espínola. Restam cinco vagas! A I Etapa dessa Copa começa sábado às 15 horas, As inscrições se encerram sábado, pela manhã, até o meio-dia. A inscrição é 20 reais. Juntos somos mais fortes!

Circuito FPBX de Xadrez Rápido - Etapa IV - REGULAMENTO


    R E G U L A M E N T O


1) LOCAL, DATA E HORÁRIO

Local: Escola Municipal de Ensino Fundamental Felipe Rodrigues de Lima
Rua Getúlio Vargas, 155 - Centro, Baraúna - PB (próximo à Prefeitura Municipal)

Data: 21 de abril de 2018  
Horário: A partir das 10h15min

2) ORGANIZAÇÃO, DIREÇÃO E ARBITRAGEM

Organização: Federação Paraibana de Xadrez (FPbX)
Direção: Fernando Melo
Arbitragem: AR Ivanilson Pereira Silva

3) OBJETIVOS

O evento é a Etapa IV do Circuito de Xadrez Rápido FPBX – Um por todos, todos por um, que visa fortalecer o xadrez paraibano, a partir da sua interiorização e do cadastramento dos seus enxadristas na FPBX, através de 6 Etapas e uma Final de Torneios de Xadrez Rápido, válidos para a formação e movimentação do ELO RPD (CBX e FIDE).

O Circuito será composto das seguintes Etapas:

Etapa I – Campina Grande (novembro/2017)
Etapa II – João Pessoa (janeiro/2018)
Etapa III – Esperança (fevereiro/2018)
Etapa IV – Baraúna (abril/2018)
Etapa V – Bananeiras (junho/2018)
Etapa VI – Patos (setembro/2018)

Final – Alagoa Grande (novembro/2018)

4) SISTEMA, RITMO DE JOGO E EMPARCEIRAMENTO

Sistema: Suíço em 6 rodadas
Ritmo: 10'+5'' (Prioritariamente) ou 15' KO
Programa de Emparceiramento: Swiss Manager

5) CRITÉRIOS DE DESEMPATE

1º - Confronto Direto (Código 11)
2º - Buchholz com corte do pior resultado (Código 37)
3º - Buchholz sem corte (Código 37)
4º - Sonneborn-Berger (Código 52)
5º - Maior número de vitórias (Código 12)

6) PROGRAMAÇÃO

10h15min - Congresso Técnico

10h30min - Rodada I
11h10min - Rodada II
11h50min - Rodada III

14h00min - Rodada IV
14h40min - Rodada V
15h20min - Rodada VI

Premiação e encerramento logo após o término da VI rodada

7) PREMIAÇÃO

O campeão e o vice-campeão da Etapa IV do Circuito receberão troféus. 

Os campeões de cada etapa estarão classificados para a FINAL, em Alagoa Grande, no mês de novembro de 2018, quando haverá premiação em dinheiro, ainda a ser definida, em função da arrecadação com as etapas do Circuito e dos patrocínios eventualmente conquistados.

IMPORTANTE: No caso de existir um mesmo campeão em mais de uma Etapa do Circuito, as vagas correspondentes para a FINAL serão destinadas para aqueles vice-campeões que tiverem mais pontos acumulados em todas as 6 etapas do Circuito, prevalecendo, em caso de empate nessa pontuação, aquele que participou da Etapa mais antiga.

8) VAGAS, INSCRIÇÃO E CADASTRO CBX

Número de Vagas: Limitadas a 50 (cinquenta) participantes.

Inscrições:

Adulto Absoluto, o valor é de 30 reais e com direito ao cadastro na FPBX. Quem já for cadastrado, o valor será de 20 reais.

Sub 18 Absoluto, o valor é de 20 reais e com direito ao cadastro da FPBX. Quem já for cadastrado, o valor será de 10 reais. 

Forma de Inscrição:

Depósito bancário na conta da Federação Paraibana de Xadrez:

Banco do Brasil
Agência 3502-5
Conta Corrente: 17.388-6

Após efetuar a inscrição, enviar comprovante do depósito para o email melofernandoantonio@gmail.com, informando o nome completo, a data de nascimento e número de telefone para contato.

O pagamento da inscrição também poderá ser feito no local do torneio, até às 9:30 horas.

Cadastro CBX: Todos os participantes deverão estar cadastrados na CBX, até o dia do torneio. O cadastro de enxadristas sem IDCBX deverá ser feito no site da CBX, http://www.cbx.org.br.

Para fins de participação neste torneio, o pagamento da anuidade da CBX é facultativo para o jogador que estiver cadastrado na CBX e ainda sem a quitação dessa taxa.

9) PEDIDOS DE BYE AUSENTE

Os pedidos de bye ausente, apenas para a primeira rodada, com 0,5 ponto, serão recebidos até às 9 horas do dia do evento, se solicitado por meio do telefone de contato aqui divulgado.

10) MATERIAL DE JOGO

O jogador condutor das peças brancas deve apresentar o jogo de peças tamanho oficial, enquanto o condutor das peças negras deve apresentar o relógio em perfeito estado. 

11) COMITÊ DE APELAÇÃO

Durante o Congresso Técnico será formado o Comitê de Apelação, a ser constituído por três membros, sendo um presidente e dois membros titulares, além de dois suplentes. Eventual recurso contra decisões da arbitragem deverá ser formulado, por escrito, ao Comitê de Apelação, no prazo máximo de 10 minutos contados do término da rodada que ensejou o episódio questionado, mediante caução de R$ 50,00 (cinquenta reais), cuja devolução ao recorrente dependerá do provimento do recurso, pelo Comitê.

12) CONSIDERAÇÕES ESPECIAIS

i. Para fins de emparceiramento serão considerados os possuidores, nessa ordem, de ratings Elo FIDE RPD, Elo FIDE STD, Elo CBX RPD e Elo CBX STD, nessa ordem. Aqueles sem nenhum Elo, serão classificados em ordem alfabética;

ii. Durante a partida, é proibido ao jogador portar celular e/ou outro meio eletrônico de comunicação ou qualquer outro dispositivo capaz de sugerir-lhe lances na área de jogo. Se for evidente que o jogador trouxe tais equipamentos eletrônicos para o ambiente de jogo, deverá perder a partida. O oponente deverá vencer. Será permitido, entretanto, armazenar telefone celular em uma bolsa do jogador, desde que o dispositivo esteja completamente desligado. O jogador, contudo, está proibido de carregar a bolsa tendo consigo tal dispositivo, sem a permissão do árbitro;

iii. Durante a rodada será proibido ao jogador se ausentar do ambiente de jogo sem a autorização do árbitro;

iv. Serão terminantemente proibidas as análises post mortem na área de jogo;

v. Será expressamente vedada bebida alcoólica e fumo dentro da área de jogo;

vi O 'ambiente de jogo’ é composto por todas as dependências internas da EMEF Felipe Rodrigues de Lima. A área de jogo' é o lugar onde as partidas da competição serão disputadas.

vii. No torneio não será aplicado o Apêndice G das Leis de Xadrez da FIDE, atualmente em vigor.

13) CONTATO

Fernando Melo
E-mail: melofernandoantonio@gmail.com
Fones: (83) 998257086 (TIM); (83) 32262685 (residencial)

14) DIVULGAÇÃO DO TORNEIO



15) DISPOSIÇÃO FINAL

A inscrição neste torneio implica plena aceitação deste regulamento.

João Pessoa (PB), 21 de março de 2018.

FERNANDO MELO

DIRETOR

 

AMOR: a moeda da FPBX!

Não estamos sozinhos! São muitos enxadristas, dezenas até, de várias regiões do Estado, que estão se engajando nos projetos da Federação Paraibana de Xadrez. Esse conjunto de esforços, essa vontade de acertar, esse desejo de ver a Paraíba num outo patamar de educação, faz com que a nossa Federação acredite que a sua verdadeira moeda não é o real, muito menos o euro ou o dólar. É claro que ela, a moeda das transações monetárias, ajuda e ajuda muito para que  se consiga perenizar esse projeto, que em menos de 100 dias da sua implantação começa a produzir frutos. 

Mas o grande objetivo é usar a moeda do amor, a mãe de todas as moedas, com serenidade, responsabilidade,
humildade e paixão. Usando-a, as conquistas são mais verdadeiras, mais leais, mais felizes. Afinal, o xadrez como o amor tem o poder de fazer as pessoas felizes, como já disse o nosso querido Siegbert Tarrasch(1862-1934), um dos mais fortes enxadristas do fim do século XIX.

quarta-feira, 21 de março de 2018

Um sonho a caminho da realidade!

Sonhar que um dia a Federação Paraibana de Xadrez será respeitada e aceita em todos os 223  Municípios do Estado é o primeiro passo para que o trabalho de muitos comece a frutificar. A semente foi plantada. O chão é fértil e existe muita possibilidade desse semente desabrochar gerando as melhores das esperanças.

Temos a melhor das noticias para os que acreditam nesse sonho. A Confederação Brasileira de Xadrez bateu o martelo no último domingo em uma reunião com dirigentes da Federação Paraibana de Xadrez: em agosto teremos na Paraíba, mais precisamente em Campina Grande, um Curso de Instrutor e de Arbitragem patrocinado pela Confederação!

Os interessados devem entrar em entendimento com os diretores de escolas que por sua vez devem se entender com os secretários de educação dos municíoios que desejam participar. Isso porque, cada participante do curso deve vir e se hospedar por conta própria. O que a CBX fará é enviar os instrutores (passagem, hospedagem e cachê) e não cobrará inscrição dos que irão fazer o curso.  
Iremos, em nome da Federação, começar a articular os contatos para que os interessados abranja um bom número de municpios, uma vez que é grande a carência de árbitros e de instrutores para o ensino de xadrez nas escolas. Juntos somos mais fortes.  (FM)

I Copa Abdias Sá

O saudoso Abdias Sá homenageado pela FPBX
A Federação Paraibana de Xadrez se sente honrada em poder patrocinar eventos que façam lembrar a memória de enxadristas que contribuíram para o crescimento e fortalecimento do xadrez em nosso Estado. Foram muitos e um deles teve uma participação marcante na história, ao dirigir em 1976 o Campeonato Brasileiro de Xadrez, realizado no Hotel Tambaú. Estamos falando do saudoso engenheiro Abdias da Silva Sá, que soube administrar com coragem e determinação a Federação Paraibana de Xadrez. Ele será o primeiro nessa série de homenagens da FPBX.

Começa nesse sábado a 1ª Etapa da I Copa Abdias Sá. São apenas 10 jogadores, num ativo de 15 minutos (não será usado o tempo com acréscimo, ou seja 10'+5''). O sistema é schuring, isto é, todos contra todos. A inscrição é de 20 reais.

Esse evento tem várias finalidades. Além de homenagear a memoria de quem realmente fez em favor do nosso xadrez, é um caminho para fortalecer as finanças da Federação, uma vez que não haverá premiação em dinheiro. No entanto, ao final da 10ª Etapa dessa Copa, os vencedores de cada uma farão a Grande Final, valendo rating e premiação para todos os 10 participantes.

E ainda tem a finalidade de fazer caixa para a premiação que será dada para os vencedores do I Campeonato Paraibano de Xadrez Ativo, que será realizado no segundo semestre deste ano de 2018. 

A Academia de Xadrez Caldas Vianna já prestou mais de uma homenagem à memória de Abdias Sá. Vajamos abaixo, um texto assinado por Fernando Sá, presidente da Caldas Vianna e sobrinho do homenageado.



O campeão receberá uma caneca nesse modelo
As inscrições para essa I Etapa já estão abertas e se encerram sexta-feira. O pagamento da inscrição, (20 reais) pode ser feito antes da primeira rodada que começa impreterivelmente às 15 horas. O local dos jogos é na Academia de Xadrez Caldas Vianna. Não precisa trazer peças nem relógios. A direção se encarrega dessa parte. Lembrando por fim, que são apenas 10 vagas por etapa. Juntos somos mais fortes.

terça-feira, 20 de março de 2018

Musinha visita o Bobby Fischer!



A primeira Musinha da Federação Paraibana de Xadrez, Lara Regina, 8 anos, de Esperança, fez uma visita surpresa ao Memorial Bobby Fischer, acompanhada de sua família.
Foi recebida pelo presidente da FPBX e pelo seu professor Joaquim Virgolino. Sempre simpática e risonha, Lara Regina tirou fotos com lideranças, familiares e  jogadores. Sua mãe, ao ver tantas crianças da idade de Lara participando, nos garantiu que no próximo ano, na X edição do Bobby Fischer, a Musinha vai participar. 
Como o mandato de Lara Regina tem a duração de um ano, num intervalo do X Bobby Fischer, ela passará a coroa para a Musinha 2019, que será Amanda Araruna, 8 anos, de João Pessoa.  

O paladino e a matriarca!

O agora Comendador Luis Macedo recebe a honraria
... de Dona Ana, matriarca do xadrez paraibano




















Um momento muito especial ocorreu durante a cerimônia de encerramento do Memorial Bobby Fischer, no final da tarde do último domingo, no Littoral Hotel. Foi quando o presidente da Federação Paraibana de Xadrez, jornalista Fernando Melo, convidou Dona Ana para entregar a Comenda Bobby Fischer, ao Paladino do Nordeste, o potiguar Luis Soares de Macedo, que no último dia 2 de fevereiro completou 95 anos de idade!

Esta é a primeira vez que a FBBX  homenageia uma personalidade do mundo enxadrístico com a Comenda Bobby Fischer. O paladino Luis Macedo é merecedor pela sua historia de dedicação e amor à arte que muito lhe ajudou a educar seus filhos e netos. E pelo tempo de vida que ainda lhe resta, certamente seus bisnetos atenderão aos seus ensinamentos.

Por sua vez, Dona Ana foi a pessoa indicada pela Federação para a entrega da comenda por ter também uma historia de amor à Caíssa. Todos os enxadristas paraibanos e aos que aqui pisam o solo tabajara para participar de torneios, têm uma dívida de gratidão para com ela. Sem Dona Ana teríamos muito pouco. Fundadora e presidente de honra da Academia de Xadrez Caldas Vianna, essa matriarca que todos nós chamamos carinhosamente de Dona Ana, dava início na primeira metade da década de 70 a uma nova e promissora visão do xadrez competitivo. Com ela presente foi que tudo começou. Daí esse reconhecimento da FPBX.  

segunda-feira, 19 de março de 2018

Parceria com Pombal!

A secretaria de Educação de Pombal, Aurineide  Bezerra:
apoio total ao xadrez nas escolas do município
Mais um passo  importante na caminhada pela interiorização do xadrez em todo o Estado da Paraíba Graças a intermediação do professor Francinaldo Rodrigues, falamos hoje no início da tarde, por telefone com a secretaria de Educação do município de Pombal (390 km da Capital), Dra. Aurineide Bezerra, a respeito da implantação do xadrez nas escolas públicas do município. Foi um diálogo rápido, porém bastante proveitoso. 

Mostrou-se bastante satisfeita quando eu disse que a Confederação Brasileira de Xadrez vai promover no próximo mês de agosto, um Curso de Instrutor e de Arbitragem de Xadrez, na cidade de Campina Grande.E pelo que me foi possível sentir, Pombal estará presente com mais de um representante.

O professor Francinaldo Rodrigues nos deu uma excelente notícia: a secretaria Aurineide autorizou a instalação de uma sala específica para xadrez, que abrigará seus alunos de duas escolas, num plano inicial, podendo abranger um número bem maior de alunos que querem desenvolver seus conhecimentos no xadrez. A FPBX, nessa parceria, doou seis tabuleiros de napa para uso nessa sala de xadrez.  O ponto alto desse curso de xadrez, é que será avaliado o desempenho dos alunos nas outras matérias do curriculum oficial, como, por exemplo, Matemática. E assim vai se poder saber se o aluno A, que faz o curso de xadrez, teve desempenho melhor ou igual ao aluno B , que não faz o curso de xadrez.

Temos uma viagem agendada para os dias 9/10 de setembro á cidade de Pombal, quando iremos, eu e Genildo Gomes, ter uma audiência com a Secretaria da Educação e visitar as escolas onde o xadrez já está sendo ministrado pelo professor Francinaldo Rodrigues.

Livro nas escolas!

Bananeiras é a primeira cidade a receber o livro doado pela FPBX
Andreé Eleutério (E), Fernando Melo e Antonio Diutra
Vários livros de ensino do xadrez nas escolas devem ser indicados para os municípios paraibanos que começam a implantar a prática desse esporte-ciência, graças à campanha que a Federação Paraibana de Xadrez vem estimulando e que agora passa a contar com o importante apoio da Confederação Brasileira de Xadrez.
O primeiro deles está sendo - Para Ensinar e Aprender Xadrez na Escola - , cujo autor é o professor Adriano Caldeira.

Ontem pela manhã esteve em João Pessoa o professor André Eleutério, residente em Solânea, mas que ministra aula em escolas públicas de Bananeiras. O encontro com as presenças dos diretores  Fernando Melo e Antonio Dutra da FPBX se deu no terraço do  Littoral Hotel, em cujo salão anexo se realizava a 5ª e penúltima rodada do IX Memorial Bobby Fischer.

Como sabemos, Bananeiras vai sediar em junho a 5ª etapa do Circuito FPX - Um por todos, todos por um, com a coordenação, na cidade, do professor Eleutério. Na reunião de ontem, um exemplar do livro citado foi doado pela FPBX para ser implantado nas escolas municipais de Bananeiras, sendo assim a primeira cidade do Estado a receber esse incentivo. Aguardamos que  essa parceria seja fortalecida com o passar os dias e que possa render muitos frutos.

sábado, 17 de março de 2018

CBX e FPBX: reunião histórica!

Ivanilson Pereira (E), Severino Amâncio (Patos) , Antonio Gomes (Campina Grande)
Rosimere Moreira (Lucena), AI Igor Macedo, Fernando Sá,
Amilcar Pessoa (Princesa Isabel), Francinaldo Rodrigues (Pombal).
Sentados: Ubirajara Barros(E), Genildo Gomes, Fernando Melo,
GM Darcy Lima e Joaquim Junior (Esperança)
Reunião histórica e muito proveitosa hoje pela manhã do presidente da Confederação Brasileira de Xadrez, GM Darcy Lima com várias lideranças do xadrez paraibano. Os trabalhos foram coordenados pelo presidente da FPBX, Fernando Melo. A reunião começou às 9 horas e foi encerrada às 10h30, no Littoral Hotel. O tema central do encontro foi o Xadrez nas Escolas. Todos tiveram oportunidade de expor a situação de cada cidade que no momento representavam. Após ouvir a todos, Darcy Lima mostrou com sua explanação plena disposição de dar todo o apoio possível para que esse projeto na Paraíba possa prosperar, incluindo aí formação de instrutores e cursos para árbitros.


quarta-feira, 14 de março de 2018

Palavra do Presidente - VII

Conquistar a confiança dos enxadristas de nosso Estado para que acreditem nas ações que a Federação Paraibana de Xadrez vem desenvolvendo nesse três primeiros meses, é um ponto de honra da atual Diretoria. Pelos fatos que se sucedem, tudo caminha para esse sucesso.

Essa semana tivemos uma boa e agradável surpresa, algo que excedeu a nossa expectativa. O enxadrista Carlos Viana, do Estado de Sergipe, que ia jogar o IX Memorial Bobby Fischer, que começa na próxima sexta-feira, escreveu para o diretor do evento e disse que não iria poder participar. Como tinha pago a inscrição na valor de R$ 90,00, foi informado de que o valor seria devolvido. Ele preferiu doar o valor para a Federação Paraibana de Xadrez!

Confesso ter ficado comovido com essa atitude, pois demonstra confiança e respeito pelo que a atual Diretoria vem fazendo em defesa do desenvolvimento do xadrez paraibano.

Gestos assim, que certamente vão se multiplicar entre os enxadristas paraibanos, como já aconteceu recentemente em duas oportunidades, aumentam nossa responsabilidade, ao mesmo tempo que nos dão forças para continuar com essa missão de cadastrar, interiorizar e apoiar o Xadrez nas escolas públicas e privadas!

Fernando Melo - Presidente 

segunda-feira, 12 de março de 2018

FIDE pode ajudar a FPBX!





Uma possível reunião no próximo sábado, por volta das 9 da manhã, no terraço do Littoral Hotel (Cabo Branco), anexo ao salão onde se realiza à tarde a 3ª rodada do IX Memorial Bobby Fischer, pode dar um grande impulso ao projeto principal da Federação Paraibana de Xadrez, que é o Xadrez nas Escolas. E como isso pode acontecer?

Vivemos grandes esperanças da Federação Internacional de Xadrez - FIDE poder ajudar o desenvolvimento do xadrez da Paraíba. Para tanto essa reunião histórica no próximo sábado, com o presidente da Comissão de Projetos Sociais da FIDE, o brasileiro Grande Mestre Darcy Lima, atual presidente da Confederação Brasileira de Xadrez, e lideranças do xadrez paraibano, é esperada com grande expectativa.

A pauta principal dessa reunião será a implantação do Xadrez nas Escolas, públicas e privadas. Para tanto devem participar os professores Amilcar Pessoa (Princesa Isabel), Francinaldo Rodrigues (Pombal), Severino Amâncio e Bruno Paulo (Patos), Fagner Lima (Baraúna), Ronayde Emanuel (Frei Martinho), Joaquim Junior (Esperança), Jociel Iordan (Guarabira) Laurentino Neto (Remígio), Antonio Sobral (Alagoa Grande), Edillon Lima (Pedras de Fogo), Ivamberg Ivanildo (Juripiranga), Antonio Gomes (Campina Grande), Luiz Fábio Jales (Mamanguape), Rosimere Moreira (Lucena), além de diretores da FPBX e convidados especiais.



Prestando contas - FEV 2018


sábado, 10 de março de 2018

Nosso amigo Paulo Dália!

O dinâmico e vitorioso prefeito de Juripiranga, Dr. Paulo Dália
A Federação Paraibana de Xadrez se sente honrada e feliz em poder celebrar na data de hoje, o aniversário do nosso amigo engenheiro Paulo Dália, prefeito de Juripiranga. Nessa arrancada da FPBX em favor da interiorização, Juripiranga foi a primeira cidade paraibana a  abraçar a ideia, graças à sensibilidade e visão do seu Prefeito. Longa vida Dr. Paulo Dália e festeje seu aniversário ao lado de sua família e do seu povo feliz.
Fernando Melo - Presidente da FPBX.

sexta-feira, 9 de março de 2018

FPBX faz parceria com Sousa-PB

Flavio Tyrone e Fernando Melo
Importante reunião foi realizada na manhã de hoje, em João Pessoa, da Diretoria da Federação Paraibana de Xadrez, nas pessoas do presidente Fernando Melo e vice-presidente Genildo Gomes, 
Mariana, Tyrone, Fernando e Genildo 
com o prefeito de Sousa, Flávio Tyrone, que se fazia acompanhar de sua namorada Mariana
. 

Mostrando-se por todo tempo receptivo para o fortalecimento dessa parceria, inclusive com a possibilidade de implantar o xadrez nas 26 escolas municipais, o Prefeito apresentou uma sugestão de data para que a Federação realize uma simultânea em praça pública, ministrada pelo talentoso Luiz Antonio Tomaz, contra dez tabuleiros, prata da casa. Esta será a primeira vez que uma cidade do interior patrocinará uma simultânea em praça pública sob a organização da Federação Paraibana de Xadrez.

E após consulta no calendário da própria Federação, esta definiu a data de 15 de julho, para a citada simultânea, prontamente aceita por Flavio Tyrone.

Ainda na citada reunião, foi colocado em pauta, para melhor análise num futuro breve, um torneio ativo no dia 9 de setembro, em Sousa, com a participação de enxadristas da região do sertão paraibano.

quarta-feira, 7 de março de 2018

O xadrez e a educação - 3

CONTINUAÇÃO


Método
Procedimento: A coleta de dados desenvolveu-se através da utilização de diferentes instrumentos.

Observações:
Reuniram-se 18 sessões de observação em nove instituições de ensino, sendo quatro escolas públicas, três escolas privadas, um "centre d'animation" e uma escola de xadrez, totalizando 24 h e 15 min. Todos os estabelecimentos localizavam-se na região parisiense (França).
Sujeitos: participaram desta etapa alunos cursando desde a pré-escola até o segundo grau, uja faixa etária variava de seis a quinze anos.
Objetivos:
a) Cumprir a familiarização e consequente adaptação mútua do pesquisador com seu objeto de estudo em diversas situações.
b) Delimitar mais claramente as metas a serem atingidas pela investigação.

Ensino:

Ministrou-se, no ano letivo de setembro/1985 a junho/1986, curso de xadrez em três diferentes instituições:
a) uma escola privada laica na qual este ensino era obrigatório, desenvolvendo-se durante 30 aulas de uma hora por semana para uma classe de 5ª série (20 alunos, idade média: 11 anos) e para uma classe de 6ª série (15 alunos, idade média: 12 anos)
b) uma escola pública onde o xadrez era atividade facultativa durante uma hora no período do almoço, quatro dias por semana para 31 estudantes com faixa etária variando de 11 a 16 anos (5ª série do 1º grau à 3ª série do 2º grau). Totalizaram-se 19 aulas.
c) um "centre d'animation" que organizava um cuso semanal de 1h e 15min para oito crianças de seis a dez anos, alunos da pré-escola à 4ª série, somando-se 27 aulas.

Objetivos:

a) Descrever, analisar e avaliar métodos de pedagogia enxadrística, voltados para as especificidades institucionais dos diferentes estabelecimentos estudados.
b) Elaborar programas básicos de ensino de xadrez,com características próprias para cada clientela.
c) Determinar as condições de sua integração curricular no ensino regular.

Questionários:

Distribuiram-se diferentes questionários, de acordo com os sujeitos:

a) Alunos
Um primeiro questionário, apresentado a todos os participantes das atividades descritas. no item anterior, foi aplicado no início do ano escolar. O instrumentos constitui-ase de 14 perguntas abertas.
Objetivos:
Recolher dados de identificação, expectativas relativas ao curso de xadrez, o nível prévio de conhecimento enxadrístico e as demais áreas de interesse acadêmico.
Um segundo questionário, composto por 30 perguntas abertas, três de múltiplas escolha e duas fechadas, foi passado ao final do ano letivo.
Objetivos:
Investigar as impressões, críticas e sugestões dos alunos referentes ao ensino ministrado.

b) Professores
Um conjunto de oito perguntas abertas e uma fechada foi distribuído ao término do período letivo aos professores das outras disciplinas.
Objetivos:
Conhecer a representação desenvolvida pelos docentes de outras áreas em relação ao ensino do xadrez em sua instituição.

c) Pais
Um instrumento semelhante àquele aplicado aos professores foi entregue aos responsáveis dos alunos por intermédio destes.
Objetivos:
Obter suas principais percepções da experiência do processo ensino-aprendizagem do xadrez.

Entrevistas:

a) Alunos
Construiu-se um roteiro de entrevista semi-estruturado dirigido a 28 estudantes distribuídos em sete grupos com diferentes níveis de desempenho na experiência de ensino executada. Considerando o grau de implicação do pesquisador decorrente da sua condição de professor, optou-se pela participação de um entrevistador não diretamente envolvido com a investigação.
Objetivos:
Os mesmos dos questionários, coma vantagem de proporcionar um contexto favorável à expressão dos alunos, uma vez que a entrevista, ao contrário dos questionários, não é tão frequentemente associada à situação acadêmica.

b) Diretores
Após o término da experiência de ensino, os três dirigentes foram entrevistados pelo próprio pesquisador.
Objetivos:
Conhecer suas expectativas, impressões e opiniões sobre a introdução do ensino do xadrez em seus respectivos estabelecimentos.

CONTINUA

domingo, 4 de março de 2018

O xadrez e a educação - 2

CONTINUAÇÃO -

A utilização pedagógica do xadrez

Em 1993, realizou-se em Curitiba, Paraná, o 1º Seminário Internacional de Xadrez nas Escolas contando com o apoio do Ministério da Educação e do Desporto(MEC). Participaram 15 conferencistas de dez nações: Argentina, Brasil, Colômbia, Cuba, Filipinas, França, Grécia, Itália, Portugal e Venezuela.
Atualmente, de acordo com o levantamento efetuado, o ensino oficial do xadrez escolar está instituído em 45 países.

Na Alemanha, os primeiros esforços voltados para a introdução do xadrez nas escolas datam do século XIX. Em 1985, a Universidade Schiller de Gena criou um curso facultativo com duração de um ano. Os diplomados podem em seguida dirigir os clube escolares de xadrez.
Na Argentina, os 18.000 alunos cursando as 4ª, 5ª e 6ª séries do Estado de Santa Fé recebem um ensino obrigatório de xadrez, sancionado por decreto-lei.

No Canadá, o Ministério da Educação aprovou, em 1984, o programa "Defi-mathématique", composto por seis projetos, dentre os quais "Échecs et Maths". Desta maneira, o xadrez encontra-se integrado ao programa de matemática, no qual uma hora semanal é reservada para o ensino e prática deste esporte. Mais de 45.000 alunos são beneficiados por esta iniciativa.

Um "Plan Masivo de Enseñanza del Ajedrez en las Escuelas Primarias" de Cuba, fruto do trabalho conjunto do Instituto Nacional dos Desportos, Educação Física e Recreação (INDER) e do Ministério da Educação (MINED), foi difundido para os 450.000 alunos da 2ª à 6ª séries.

A "American Chess Foundation", dos Estados Unidos, estipulou como uma de suas metas a introdução do xadrez na escola e, para tanto, vem traduzindo todos os trabalhos que possam subsidiá-la. Todavia, o "National Institute of Education" opõe  uma forte resistência a esta proposta privilegiando os métodos tradicionais. Mas, em razão da descentralização do ensino americano diferentes experiências têm sido levadas adiante.

A partir de 1975, a Universidade Louis Pasteur propõe aos alunos um ensino sobre os aspectos culturais, científicos e técnicos do xadrez. Desde 1976, o Ministério da Educação da França apoia a sua utilização pedagógica nas escolas, atendendo, assim, mais de 200.000 estudantes do pré-primário à universidade.

Uma resolução do Ministério da Educação da Holanda, autorizando a inclusão do xadrez como esporte escolar no currículo de 1º grau durante meia hora semanal, atinge atualmente cerca de 300.000 estudantes. A Universidade Técnica de Budapeste, Hungria, organiza cursos de xadrez a partir de 1987.[

Desde 1943, uma Associação para o ensino de Xadrez está instalada em Londres. Na Inglaterra, o xadrez é ensinado na escola fora do horário de aula, o que o caracteriza como uma atividade desenvolvida em meio periescolar, isto é, inserindo-se no espaço institucional, mas não integrando o currículo.

Na Rússia, em 1966, foi criada a Faculdade de Xadrez no Instituto Central de Educação Física de Moscou. Após quatro anos de estudos sobe a teoria, a pedagogia e a psicologia do xadrez e do esporte os estudantes tornam-se professores no secundário.

No Brasil, a primeira iniciativa em favor do ensino e da prática do xadrez escolar data de 1935. De lá para cá tais experiências multiplicaram-se e diversificaram-se. O quadro atual indica que o xadrez vem sendo gradativamente admitido no campo da educação, predominando como atividade periescolar. Recentemente, em prol da difusão do xadrez nas escolas, o MEC publicou uma cartilha distribuída gratuitamente em cerca de 1.500 municípios do país. (VILLAR, 1993).

CONTINUA

Local da 6ª Etapa Circuito FPBX

Severino Amâncio (Biu do Xadrez)

A Federação Paraibana de Xadrez está encaminhando solicitação ao Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas - CCEA, do Campus VII da UEPB - Patos - PB, por intermediação do professor Severino Amâncio, (Diretor do Sertão da FPBX) para que o Auditório seja cedido no dia 8 de setembro do corrente ano, das 8h às 17h, com vistas à realização da 6ª Etapa do Circuito de Xadrez Rápido FPBX (CBX-FIDE) - Um por todos, todos por um.

sexta-feira, 2 de março de 2018

O xadrez e a educação

Por Prof. Dr. Antonio Villar Marques de Sá
(Universidade de Brasília - Faculdade de Educação)


Experiências de ensino enxadrístico em meios escolar, periescolar e extra-escolar

Palavras chaves:
xadrez, escolar, periescolar, extra-escolar, pedagogia enxadrística, aprendizagem lúdica.


Este artigo é baseado em uma investigação desenvolvida para a elaboração da Tese de Doutorado em Ciências da Educação intitulada "Le Jeu d'échecs et l'education: experiences d'enseignement échiquéen en milieux scolaire, périscolaire et extra-escolaire", financiada pelo CNPq, orientada pelo Professor Emérito Gilles Ferry e defendida na Universidade de Paris X - Nanterre (França) em 22 de novembro de 1988 (432 p.)
A problemática desta pesquisa exploratória abrange as seguintes questões: Que fatores influenciam a utilização do xadrez como inovação pedagógica no ensino regular? O que caracteriza a introdução do xadrez nos meios escolar, periescolar e extra-escolar? Existem diferenças neste processo? Qual método educativo e qual o programa didático melhor atendem às especificidades deste ensino?

Fundamentação teórica

O lúdico no campo educacional

A importância do jogo para o desenvolvimento humano tem sido objeto de estudo das mais diferentes abordagens. a atividade lúdica foi enfocada sob o ponto de vista filosófico (Pascal, Alain, Henriot, Schopenhauer, Nietzsche, Bataille, Sartre), sociológico (Huizinga, Hirn, Caillois), psicanalítico (S. Freud, A. Freud, Klein, Winnicoot, Charles-Nicolas, Enriquez) psicólogo ( Gross, Claparède, Chateau, Piaget, Vigotsky) e pedagógico (Rousseau, Pestalozi, Frobel, Montesorri, Decroly, Freinet, Michelet). As teorias elaboradas até o presente momento enfatizam elementos diferentes, o que as tornam úteis para a análise de determinados aspectos particulares do fenômeno lúdico. Não existe, portanto, uma teoria,  universalmente aceita sobre ele.
Por outro lado, verifica-se um movimento crescente visando a introdução do lúdico em todos os níveis de ensino, pretendendo-se expandí-lo para além das classes pré-escolares. Não obstante, nenhuma transformação em profundidade foi absorvida no plano curricular, sendo que o debate em torno das vantagens e desvantagem desta evolução faz parte de uma discussão mais ampla sobre o modo de compreender a natureza do processo educacional (UNESCO, 1986).
Em suma, ao que tudo indica a implementação da aprendizagem lúdica no ensino depende da superação do paradoxo que consiste em adotar o jogo - uma atividade voluntária - cuja finalidade está voltada para os interesses e necessidades individuais - para mediar uma tarefa concebida no sentido de atingir objetivos acadêmicos externamente estabelecidos.

O valor educativo do xadrez

Na Suiça, o xadrez é utilizado no ensino para desenvolver várias qualidades, dentre as quais (PARTOS, 1978): atenção, concentração, raciocínio lógico-matemático, julgamento, planejamento, imaginação, antecipação, autocontrole, perseverança, espírito de decisão.
Em uma partida de xadrez, os jogadores efetuam etapas básica do raciocínio (DE GROOT, 1978) : fazer um plano, agrupar as alternativas, aprofundar progressivamente a investigação, estipular a ordem de investigação, escolher e tomar a decisão.
De acordo com vários autores, a atividade enxadrística contribui ainda para o desenvolvimento de muitas capacidades, a saber: criatividade (TIKHOMIROV, 1970), memória (GOLDIN, 1979), cálculo  (GOLOMBEK, 1980) e inteligência geral (ROOS, 1984).
Mas, o principal mérito da aprendizagem enxadrística, desde que adotada ludicamente, repousa no fato de permitir que cada aluno possa progredir seguindo seu próprio ritmo e, assim, atender a um dos objetivos primordiais da educação moderna.
Diversos trabalhos demonstram que o xadrez pode constituir atividade indicada para um trabalho junto a uma população apresentando dificuldade de adaptação social.
Ao ser incluído em classes de baixo rendimento escolar , ele funciona como um suporte pedagógico: para que os alunos alcancem a autoestima essencial para qualquer processo educativo.
Em vista do fator motivacional subjacente ao ato de jogar, é possível favorecer o interesse e a habilidade necessários para o bom desempenho em outras matérias. Aliás, o xadrez tem se mostrado um excelente instrumento para o acompanhamento do desenvolvimento cognitivo.
Isto é particularmente notável no que tange ao ensino de matemática, pois auxilia a aprendizagem de (DEXTREIT, 1981):  

- aritmética: com a ajuda das noções de troca e valor comparado das peças e de controle das casas.
- álgebra: graças à representação gráfica do tabuleiro e ao cálculo do índice de performance dos jogadores que podem ser assimilado a um sistema de equações com "n" incógnitas
- geometria: o movimento das peças introduz às noções de vertical, horizontal, diagonal.
As aplicações do xadrez na área da matemática, são bastante vastas e não necessariamente de nível elementar, pois, entre, outras, elas concernem (ENGEL, 1978): análise combinatória, cálculo de probabilidades, estatística, informática, teoria dos jogos de estratégia.
Do ponto de vista heurístico, um problema de xadrez pode ser concebido como um problema de matemática (PUSCHKIN, 1967). Tanto que matemáticos como Gauss e Euler interessaram-se, respectivamente pela colocação de oito damas no tabuleiro e pelo percurso do cavalo sobre as 64 casas do tabuleiro.
Por tudo isto, constata-se que a atividade enxadrística é útil para a educação matemática na medida em que oferece múltiplas possibilidades no campo da resolução de problemas (FERNANDEZ, 1991), além de intermediar para o individuo a construção de sua própria matemática, situando-se assim, entre as abordagens atuais da educação em geral.

(CONTINUA)